19 agosto 2010

sagat, o homem

Sou um "performer" erótico e pornográfico, nunca senti que fosse um actor. Nunca frequentei sequer aulas de representação. Falar para uma câmara, articular e transmitir emoções é muito mais difícil e desafiante do que mostrar o corpo e ter sexo frente às câmaras. Tal como outros "performers" porno, sou muito tímido e reservado. Aceito de boa vontade entrar em projectos diferente que exigem representação. Por que não? Mas só aceito porque as pessoas são criativas e queremmesmo trabalhar comigo. No fundo, é tudo uma questão de experimentar coisas novas. Foi assim que entrei na pornografia. Se calhar, nunca quis sequer tornar-me "performer" porno. Mas, claro está, como sou considerado acima de tudo um modelo "porno", nunca me vão levar a sério como actor convencional, é assim que as coisas funcionam, é fatal. Não me importo. É muito francês, talvez muito europeu, rotular as pessoas e fazer juízos de valor sobre elas. Digam o que disseram, eu faço o que eu quiser.
François Sagat in Ípsilon

Sem comentários: