28 março 2011

agora a cores

É bem boa a adaptação para série do Todd Haynes, do clássico noir, Mildred Pierce. Estou farto de ler más críticas e não entendo. Insistem em comparar a série ao filme com a grande Joan Crawford, mas esquecem-se que é uma adaptação do romance de James M. Cain e não do filme. A Kate Winslet não é a Mommie Dearest e ainda bem. Dá à personagem principal uma suavidade que a Joan não tem.

Mas ambas o fazem bem. Fazem-no diferente. Boas escolhas musicais, a direcção de arte é óptima e a realização sublinha a luta pela sobrevivência desta mulher, o posterior choque com a filha e a desilusão com o sexo oposto, de maneira inteligente e sóbria. Um retrato marcadamente social e Histórico de uma época dos EUA (por exemplo, o primeiro episódio caminha quase na sua totalidade pelos empregos precários de Mildred depois do divórcio). Mais demorado, mais sofrido, mais explorado e com uma linha de personagens bem mais desenvolvida. Sim, esta mini-série merece definitivamente a vossa visita.

Sem comentários: