10 janeiro 2012

Shirin Neshat, Turbulent, 1998.

Foi a primeira peça que vi desta senhora e é a que ainda hoje mais gosto. Homem/Mulher, realidade/sonho, normativo/à margem.

Sem comentários: