02 junho 2012

próstata capital
Não sendo um dos melhores do Cronenberg, Cosmopolis até é um filme curioso. Mas o mérito vem do texto original de Don DeLillo que o realizador segue quase à risca, excluindo apenas da estrutura os diários de Benno. As adaptações de livros para filmes são tramadas e esta daria uma discussão interessante.
Não é fácil pensar cinematograficamente um objecto passado praticamente dentro de uma limosine, é certo mas também era esse o desafio. As cenas longas com cada personagem têm momentos bem conseguidos de representação (Binoche, por exemplo), há alguns planos poderosos e um trabalho de som bom, mas falta agluma coisa. Terá sido por ter livro o livro há pouco tempo? Deveria ter ficado contente? Estou baralho e tenho de ver se a minha próstata é assimétrica.

Sem comentários: